Nova peça : “O Avarento”

12 07 2011

O Grupo de Teatro da Arcor  está a preparar nova peça para levar a palco, trata-se da comédia “O Avarento “ de Moliére.

Os ensaios decorrem na secção do GTA, a encenação é do Rui Fernandes.

Para levar este projecto avante a secção conta com as mais-valias de cada um dos seus elementos, Carlos Pereira,  Victor Fernandes, Salomé, Paulo Rogério, Cristina Silva, Liliana Alves, Gil Branco, Paulo Gomes, Jorge Brandão, Luís Neves, António Reis, Julieta Fernandes, António Prazeres, Isaltina Pires, José Manuel Gomes e Lurdes Fernandes.

A secção do GTA, também se “reforçou” com gente nova: Catarina Viegas, João Pedro Farias, Romeu Fernandes e João Dias: sejam bem-vindos!





Fotos d”A Irmã Indiscreta”

18 05 2011

Este slideshow necessita de JavaScript.





Teatro na ARCOR

13 05 2011

O G.C. Semente, de Eixo, apresenta,amanhã, 14 de Maio,pelas 21H30 no salão cultural da ARCOR, a comédia,  ” A Irmã Indiscreta”.





Miguel Mihura

13 05 2011

«Miguel Mihura, o tão conhecido humorista espanhol nasceu em Madrid em 1905. Terminado o seu curso superior, dedicou-se ao jornalismo, tendo exercido a sua actividade em vários periódicos com é o caso do “El Sol e o “Ya”.

Foi, porém, como autor teatral que o seu nome atravessou a fronteira e se tornou conhecido na comunidade luso-espanhola, pelo menos três das suas peças – e todas elas de acentuado cunho humorístico – subiram já a cena nos nossos palcos mais representativos: “Maribel e a Estranha Família”, “Três Chapéus Altos” e “Operação Bossa Nova” – este último correspondendo ao original espanhol “Melocotón de Almibar” …

Daqui; http://www.jornaldobarreiro.com.pt/new.php?id=1224





“A Irmã Indiscreta”

9 05 2011

O G.C. Semente, de Eixo, apresenta a 14 de Maio,pelas 21H30 no salão cultural da ARCOR, a peça de teatro,  ” A Irmã Indiscreta”, uma adaptação da obra de Miguel Mihura “Pêssegos em Calda”. E porquê «Pêssegos em Calda»? Porque esse era o título de um filme que narrava, em imagens e termos sugestivos e muito instrutivos, a técnica apuradíssima seguida por um bando de larápios num assalto a uma joalharia – técnica essa agora repetida pelos «heróis» em cena. Simplesmente… uma gripe que depressa degenera em pneumonia e a indispensável intervenção de uma Irmã Enfermeira de agudíssimo sentido de observação ligado a uma candura desarmante e… alarmante, deitam por terra todos os bem elaborados e decalcados planos. Como?! Ah, bem… venha ver esta engraçada peça e logo saberá que o hábito… pode fazer o detective.

Daqui:www.aveiro.co.pt/agendacultural.aspx?id=2117&notic=IX%20Festival%20Teatro%20Veneza%20de%20Portugal





Grupo Semente no Palco da ARCOR

6 05 2011

 

No próximo Sábado, dia 14, o GTA da ARCOR promove mais uma noite de teatro,desta vez com o Grupo Cultural Semente, de Eixo. Este espectáculo surge no âmbito do intercâmbio cultural entre os dois grupos de teatro.

 O Grupo Semente, volta assim ao palco da Arcor, depois de em 2006,apresentar “O doente imaginário” de Moliére, e em 2009, com o “O Morto Teimoso”, adaptação da obra de Vicente Sanches, num espectáculo integrado no ciclo comemorativo da inauguração do Centro Social e do Ano 30 da ARCOR.





Movimentos e expressão !!!

20 04 2011

No passado Sábado subiu ao palco do Salão Cultural da ARCOR o Grupo de Teatro de Milheirós de Poiares, interpretando a peça “A Cantora Careca”.

Uma noite de teatro cheio de movimento e expressão, num género absurdo/comédia ao qual o público ribeirense não está habituado, mas que mesmo assim foi agraciado pelo público, que afluiu em força.





“A Cantora Careca” de Eugène Ionesco

13 04 2011

A obra procura ilustrar o absurdo da existência humana de forma cómica, assim como o distanciamento e a frieza na comunicação entre as pessoas, observado no diálogo sem sentido entre as personagens. Para lá de ridicularizar as situações mais banais, a peça de Iunesco retrata de uma forma tangível a solidão do ser humano e a insignificância da sua existência. A história passa-se no interior da Inglaterra e mostra o quotidiano de dois casais, os Smith e os Martim, e da empregada Mary. Entre conversas banais e com pouco sentido até palavras desarticuladas que se limitam a sons e um crescente clima de violência, a peça vai-se desenvolvendo.





Eugène Ionesco (Slatina, Roménia, 26 de Novembro de 1912 – Paris, 28 de Março de 1994)

10 04 2011

Eugène Ionesco foi um dos maiores patafísicos e dramaturgos do teatro do absurdo.

 Além de ridicularizarem as situações mais banais, as peças de Ionesco retratam de uma forma tangível a solidão do ser humano e a insignificância da sua existência.

 Filho de pai romeno e mãe francesa, Ionesco passou a maior parte da infância em França, mas, no princípio da adolescência, regressou à Roménia, onde se formou como professor de Francês. Em 1928, na Universidade de Bucareste, conheceu Emile Cioran e Mircea Eliade. Os três foram amigos durante toda a vida.

Regressou a França, em 1938 para concluir a tese de doutoramento. Apanhado pela eclosão da guerra, em 1939, Ionesco permaneceu em França, acabando por revelar-se escritor de talento. Foi eleito membro da Académie Française, em 1970. Morreu aos 81 anos e está sepultado no Cemitério do Montparnasse, em Paris.

Artigo retirado daqui:

http://www.fatal2007.ul.pt/teatro/FATAL2007_Programa_Teatro_CantoraCareca.pdf





Grupo Teatro Imaginado -Ritus

8 04 2011

É com enorme prazer que a Arcor recebe em sua casa, o grupo Teatro Imaginado –Ritus de Milheirós de Poiares, que pertence a Santa Maria da feira. Depois de termos sido acolhidos em sua casa a 20 de Novembro de 2010, é a nossa vez de retribuir, toda a disponibilidade, atenção e generosidade com que fomos recebidos. Queremos desde já, convidar todas as pessoas para passar uma noite no Salão da Arcor, na companhia do grupo Teatro Imaginado- Ritus, que leva à cena a peça” A Cantora Careca”, uma comédia de Eugène Ionesco(1950), pelas 21h30, dia 16 de Abril.

Contamos consigo, traga a família e um amigo!

 

Liliana Alves